Pessoas que amam meus Trabalhos

Amigos do Meus Pontinhos Sem Fim

Amigos do Meus Pontinhos Sem Fim
"Artes Moreira"

sábado, janeiro 26

Obrigado ou obrigada?

Obrigado ou obrigada? Uma leitora do nosso blogue enviou-nos um e-mail em que se queixava de ser corrigida quando dizia "obrigada" por pessoas que alegavam ser obrigado a única forma de agradecimento válida para ambos os sexos. A nossa opinião sobre isto é a seguinte: A palavra obrigada/o é uma forma participial do verbo obrigar e, como tal, admite a flexão no feminino, tal como acontece com "agradecida/o", do verbo agradecer. Assim, uma mulher pode legitimamente dizer que está, ou que se sente, "muito obrigada" por um favor que alguém lhe fez. Contudo, tratando-se de uma interjeição, também é natural que muita gente resista à ideia de flexioná-la no feminino, uma vez que as interjeições são invariáveis. Sob esse ponto de vista, tanto um homem como uma mulher podem dizer simplesmente "obrigado", com a mesma naturalidade com que dizem "olá", "adeus", ou "viva". Há, portanto, lugar para uma certa ambiguidade na interpretação do termo, conforme este seja encarado como particípio verbal ou como interjeição. O problema é que a consulta de um dicionário nem sempre nos ajuda a decidir o que fazer (neste caso, dizer "obrigada" ou não). O Dicionário de Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências, por exemplo, apresenta "obrigado" (no masculino) como interjeição (acepção n.º 3) e, ao mesmo tempo, apresenta o respectivo exemplo no feminino ("Obrigada, disse a senhora"), contrariando o princípio de que as interjeições são invariáveis. Resumindo, a flexão é legítima, por razões etimológicas, mas talvez venha a perder-se, em virtude da classe a que a palavra está agora afecta, quando é usada como expressão de agradecimento. Por S. Leite Uma leitora do nosso blogue enviou-nos um e-mail em que se queixava de ser corrigida quando dizia "obrigada" por pessoas que alegavam ser obrigado a única forma de agradecimento válida para ambos os sexos. A nossa opinião sobre isto é a seguinte: A palavra obrigada/o é uma forma participial do verbo obrigar e, como tal, admite a flexão no feminino, tal como acontece com "agradecida/o", do verbo agradecer. Assim, uma mulher pode legitimamente dizer que está, ou que se sente, "muito obrigada" por um favor que alguém lhe fez. Contudo, tratando-se de uma interjeição, também é natural que muita gente resista à ideia de flexioná-la no feminino, uma vez que as interjeições são invariáveis. Sob esse ponto de vista, tanto um homem como uma mulher podem dizer simplesmente "obrigado", com a mesma naturalidade com que dizem "olá", "adeus", ou "viva". Há, portanto, lugar para uma certa ambiguidade na interpretação do termo, conforme este seja encarado como particípio verbal ou como interjeição. O problema é que a consulta de um dicionário nem sempre nos ajuda a decidir o que fazer (neste caso, dizer "obrigada" ou não). O Dicionário de Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências, por exemplo, apresenta "obrigado" (no masculino) como interjeição (acepção n.º 3) e, ao mesmo tempo, apresenta o respectivo exemplo no feminino ("Obrigada, disse a senhora"), contrariando o princípio de que as interjeições são invariáveis. Resumindo, a flexão é legítima, por razões etimológicas, mas talvez venha a perder-se, em virtude da classe a que a palavra está agora afecta, quando é usada como expressão de agradecimento. Por S. Leite
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails